No acumulado em 12 meses, recuo é de 0,6%, taxa negativa menos intensa desde junho de 2015, o que aponta para uma trajetória de recuperação.

Por G1

16/10/2018

O volume de serviços prestados no Brasil cresceu 1,2% em agosto na comparação com o julho, segundo pesquisa de desempenho do setor divulgada nesta terça-feira (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na comparação com o mesmo mês do ano passado, houve alta de 1,6%, a terceira taxa positiva do ano nesse tipo de confronto.

No acumulado no ano, o setor permanece no vermelho, com queda de 0,5%. No acumulado em 12 meses, foi mantida a trajetória de recuperação, ao passar para uma queda de 0,6%, a taxa negativa menos intensa desde junho de 2015 (-0,2%).

O resultado de julho foi revisado de uma queda de 2,2% para um recuo de 2%.

Recuperação lenta

Com o desemprego ainda elevado e confiança dos empresários e consumidores ainda baixa, a economia brasileira tem mostrado um ritmo de recuperação mais lento que inicialmente esperado para 2018.

Indústria, comércio e serviços apresentaram comportamentos distintos em agosto. A produção industrial caiu 0,3% em agosto e teve a 2ª queda mensal seguida. Já as vendas do comércio cresceram 1,3% em agosto, após 3 quedas seguidas.

Após divulgação de alta de apenas 0,2% no PIB no 2º trimestre, analistas do mercado passaram a projetar um crescimento mais próximo a 1% em 2018. Segundo a última pesquisa Focus do Banco Central, a expectativa do mercado é que a economia cresça 1,34% em 2018, menos da metade do que era esperado do começo do ano.

Amaril Franklin CTV Ltda