Apenas uma das empresas, a alemã DEA Deutsche Erdoel AG, ainda não tem contrato de exploração de petróleo no Brasil. Leilão acontece em 28 de setembro, no Rio, com oferta de seis áreas.

Por G1 Rio

05/09/2018

A Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) anunciou a aprovação a participação de 12 empresas na 5ª Rodada de Partilha do Pré-Sal. Conforme comunicado divulgado nesta terça-feira (4), dentre as inscritas, 11 são estrangeiras e apenas uma ainda não possui contrato para exploração e produção de petróleo e gás natural no Brasil.

Nesta 5ª Rodada serão oferecidos blocos de exploração nas áreas denominadas Saturno, Titã, Pau-Brasil e Sudoeste de Tartaruga Verde, localizadas nas bacias de Santos e Campos. O leilão está marcado para o dia 28 de setembro, no Rio de Janeiro.

As empresas que tiveram a participação aprovada no leilão são:

  • Petróleo Brasileiro S.A. (Petrobras) – Brasil
  • DEA Deutsche Erdoel AG – Alemanha
  • QPI Brasil Petróleo Ltda. – Catar
  • Ecopetrol S.A – Colômbia
  • CNOOC Petroleum Brasil Ltda. – China
  • CNODC Brasil Petróleo e Gás Ltda. – China
  • Chevron Brazil Ventures LLC – Estados Unidos
  • ExxonMobil Brasil – Estados Unidos
  • Total E&P do Brasil Ltda. – França
  • Equinor Brasil Energia Ltda. – Noruega
  • Shell Brasil Petróleo Ltda. – Reino Unido
  • BP Energy do Brasil Ltda. – Reino Unido

De acordo com a ANP, as 12 empresas foram as únicas que manifestaram interesse no leilão. O número de inscritas ficou abaixo das duas últimas rodadas – na 4ª, foram 16 empresas inscritas, recorde nas rodadas de partilha, e na 3ª foram registradas 15 inscrições.

A análise dos pedidos foi realizada pela Comissão Especial de Licitações da agência. Duas empresas, a Ecopetrol e Equinor, ainda precisam apresentar documentação complementar até o dia 13 de setembro para garantir presença na disputa.

A ANP ressaltou que apenas a alemã DEA Deutsche Erdoel AG ainda não possui contrato para exploração e produção de petróleo e gás natural no Brasil.

Petrobras tem preferência em Sudoeste de Tartaruga Verde

Em junho, a Petrobras manifestou ao Ministério de Minas e Energia interesse de preferência pela área de Sudoeste de Tartaruga Verde. Isso significa que se a estatal não arrematar estas áreas, poderá se consorciar às empresas vencedoras para operar os blocos com participação de 30%.

Nas licitações sob o regime de partilha da produção, as empresas vencedoras são as que oferecem ao governo, a partir de um percentual mínimo fixado no edital, o maior percentual de óleo excedente da futura produção. Esse excedente é o volume de petróleo ou gás que resta após a descontar os custos da exploração e investimentos.

Dessa forma, o edital da 5ª Rodada de Licitações sob o regime de partilha de produção deverá indicar que a participação obrigatória da empresa, como operador, será de 30% (trinta por cento) na área de Sudoeste de Tartaruga Verde, conforme manifestação da Petrobras.

Amaril Franklin CTV Ltda